Tecnologia embarcada em veículos de transportes, garantem a entrega da carga.

Considerado um projeto concluído no ano de 1995, o sistema global de posicionamento, popularmente conhecido como GPS, é um projeto inicialmente concebido pelo ramo militar dos Estados Unidos, é uma constelação de satélites que permite a localização no solo de cargas, como por exemplo o transporte de veículos em São Paulo, pessoas e instalações.

A constelação de satélites triangula a posição do objeto medindo distâncias entre os satélites da constelação somando-se a este cálculo a diferença cronometrada de relógios muito precisos a bordo destes equipamentos. Conhecido como relógio atômico, é o pilar principal da tecnologia do gps, funcionando a partir do padrão conhecido de frequência de um átomo.

Os átomos vibram como uma frequência padronizada, e por conta da sua recorrência que não sofrem de quase nenhuma interferência externa, tornando-os uma referência de medida muito precisa, a mais precisa que existe.

Este texto não foi escrito para explicar detalhadamente o funcionamento do GPS, é uma introdução a uma chave maior, que em como diferentes indústrias no mundo, utilizam o serviço para gerar maior valor agregado em várias frentes, vamos focar nisso então, em como o GPS atua para que você receba o seu produto, na porta da sua casa, na data combinada.

GPS, a roda do comércio eletrônico.

Eu mesmo, entusiasta da diversidade tecnológica, com uma certa quilometragem no setor, fico impressionado com a qualidade deste sistema de localização, mesmo décadas após o início do projeto. Tenho certeza de que tudo o que se poderia escrever sobre o GPS, já foi escrito. Mas a sorte está lançada neste texto, vou relacionar o GPS como sendo um indutor econômico, criando um índice já, o “GPSinside”.

Quanto de valor têm uma operação comercial eletrônica, por conta da aplicação do GPS? Criei um índice justamente para levar o leitor a refletir sobre o quanto, em cada momento da sua vida, têm de serviço de gps embarcado. Sabe o porquê disso, muitos ainda relacionam o GPS a mera questões do setor logístico, mas esclareço que é bem mais do que isto.

Em uma ação simples, como operar um aplicativo de banco, o GPS é uma dos dados colhidos do dispositivo, utilizado neste caso, como item de verificação de segurança. Sim, quando se acessa uma aplicação, pelo menos, as aplicações mais preocupadas com a segurança do usuário, a localização é um dado coletado do tipo passivo, colhido automaticamente que onde é comparado com o perfil do cliente, a aplicação pode ou não liberar operações bancárias, por exemplo.

GPSinside pode ser uma métrica de valor embarcado, bem como de dependência política, onde o seu serviço depende de um alinhamento preciso às questões do seu criador. Não é possível questionar o sinal de GPS, basta se lembrar que a localização de determinada coisa depende da sua aceitação dos valores políticos do seu fornecedor.

Localização como chave passiva de segurança de acesso.

Ora se no aplicativo do banco o GPS é item de validação, no campo da saúde o serviço é utilizado para rastrear doações de órgãos para transplantes, onde ele assume mais uma vez a sua característica nativa, sendo utilizado na localização de cargas. Empresas de mudanças em Águas Claras, também oferecem o serviço de localização de movimentação de mudanças por meio do site para transportadoras.

O GPS por ter esta origem militar, possui um tipo de resolução, então o sinal de localização gerado para o item que você comprou em uma loja virtual, é diferente nesta qualidade de precisão, de um veículo militar. Se por uma determinada questão o rastreio de um item sofre a influência de mais ou menos 20 metros de precisão, no caso militar seria de 20 milímetros, então talvez caro leitor você não saiba deste dado, o sinal do GPS pode ser modulado para mais ou menos precisão.

Não apenas isto, em caso de um embate militar, por conta da instalação de uma guerra, que envolva os Estados Unidos, o GPS possivelmente será manipulado de várias formas. Eu suponho que em caso de embate global, o sinal de localização funcionará apenas em dispositivos selecionados, todos da equipe americana, deixando todos os outros no escuro, ou pior, manipulando a precisão do sinal.

As tecnologias bélicas de todos, incluindo a dos possíveis inimigos utilizando a biblioteca padrão do GPS americano, é uma grande brecha de segurança. Percebe a questão da gratuidade que o serviço oferece. As armas baseadas em GPS, podem ser todas desabilitadas ao apertar um botão, citando logicamente um caso extremo, mas tenho certeza que isto não lhe tinha ocorrido antes de ler este texto.

GPS foi feito para ser manipulado

Voltando ao debate da questão da gratuidade do serviço promovido por décadas pela nação que o projetou,é uma chave de controle geopolítico, quem seria o produtor de um serviço ou de software que sonharia em criar sua própria constelação de satélites para garantir que o seu serviço nunca sofra de influências?

Perceba como a gratuidade de um serviço de localização, alinha automaticamente a todos os que utilizam, não sendo eu que critique isto, apenas observo e relato aqui para o meu leitor. Da mesma forma que quem produz um conteúdo baseado em redes sociais, deve seguir todas as regras da rede escolhida, a gratuidade gera alinhamento de valores e concordância com uma hierarquia.

Países que concorrem com os Estados Unidos, pelo controle econômico global, utilizam outros sistemas de localização, como por exemplo citando o sistema Glonass, controlado pelos russos. Cito com o tom irônico, leia-se assim, que ou a pessoa lida com a fogueira ou lida com a frigideira.

Sabendo-se que sistemas de localização são armas estratégicas, é bom desenvolver um plano B se a sua iniciativa empreendedora depende muito disso, da localização.

Ronaldo Luis Gonçalves

Pai, Marido, Escritor, Engenheiro de Software, Empreendedor Digital atuando no mercado de marketing, é também redator de diversos sites na internet.