Fim de Semana com 3 dias: é possível no Brasil?

Nos últimos tempos tem se falado tanto sobre os benefícios flexíveis, que cada vez mais as empresas estão investindo na ideia de proporcionar mais qualidade de vida para os funcionários por meio da flexibilidade. É um assunto muito discutido dentro desse tema é o fim de semana com 3 dias, que institui um fim de semana que começa na sexta e termina no domingo. 

E você já pensou em ter uma semana de trabalho de 4 dias? Será que esse modelo de trabalho poderia ser adotado no Brasil? Já existem empresas por todo o mundo que experimentaram e tiveram bons resultados. Aqui, vamos falar sobre alguns destes cases e falar sobre as principais vantagens e desvantagens da adoção do fim de semana com 3 dias. 

Qual é a origem do Fim de Semana com 3 dias? 

Esse conceito veio a partir da campanha 4 Day Week, criada pelo empresário e filantropo Andrew Barnes e tem Stephanie Jones como co-autor do livro do mesmo nome. Na obra, os autores explicam sua teoria de como ter uma semana menor de trabalho pode aumentar a produtividade dos colaboradores. 

Segundo Barnes, ele começou a se interessar pela ideia no fim de 2017 quando leu dois estudos de trabalhadores do Reino Unido e do Canadá, que descobriram que uma pessoa consegue ser produtiva apenas 1,5 a 2 horas em um dia padrão de 8 horas. 

Depois de ler os outros, Barnes pesquisou a fundo e implementou o modelo na Perpetual Guardian, uma de suas empresas que contava na época com cerca de 240 funcionários. No experimento, os trabalhadores recebiam um dia de folga, com pagamento integral e sem serem obrigados a trabalhar horas adicionais para ganhar o fim de semana com 3 dias. 

Os resultados foram ótimos, de acordo com os dados, a satisfação dos colaboradores com o trabalho aumentou em 5%, o estresse caiu 7% e um a cada quatro trabalhadores ressaltaram que, pela primeira vez na vida, conseguiram equilibrar vida pessoal e profissional. 

Porém, a ideia de trabalhar menos para produzir mais é bem antiga. Ainda nos anos de 1930, o economista John Maynard Keynes previa que em cem anos, a jornada de trabalho chegaria a 15 horas por semana, devido aos avanços tecnológicos. Até agora, podemos dizer que Keynes estava errado, já que isso nem de longe é realidade. 

Confira alguns estudos e cases de empresas que adotaram o conceito:

Microsoft 

A Microsoft do Japão testou esse modelo em 2019. Por um mês, dois mil trabalhadores ganharam folga na sexta, alongando o fim de semana. O resultado foi um aumento de 40% de produtividade e de 91,2% na satisfação com o trabalho. 

Experiência da Suécia 

Um estudo realizado por funcionários de lares de idosos na cidade de Gotemburgo, na Suécia, mostrou alguns pontos que tornam o conceito inviável para todas as empresas. O regime de trabalho reduziu a carga horária dos profissionais para 6 horas por dia, um total de 30 horas por semana, bem abaixo das 40 horas habituais em muitos países. 

E a estratégia se mostrou inviável porque apesar de aumentar a produtividade e diminuir o absenteísmo, elevou os custos operacionais. Para cumprir a rotina de trabalho, foi preciso contratar mais funcionários e as contas saíram do controle. 

Quais são as principais vantagens e desvantagens do Fim de Semana com 3 dias? É possível adotar a ideia no Brasil? 

A principal vantagem que esse conceito apresenta é o aumento de produtividade. A expectativa é que com o equilíbrio entre vida pessoal e profissional, as pessoas fiquem mais dispostas, menos estressadas, produzindo mais e com maior qualidade. 

Outra vantagem do Fim de Semana com 3 dias seria a redução de custos operacionais. Com escritórios, indústrias e lojas trabalhando menos durante a semana, os custos seriam reduzidos consideravelmente. 

Por outro lado, muitos dizem que o regime de trabalho não poderia ser implementado em todas as empresas, já que existem negócios que precisam funcionar 24×7 sem possibilidade de flexibilização. 

Além disso, seria preciso adequar a demanda com a necessidade da empresa, o que pode fazer outras organizações perceberem que a adoção de uma jornada menor de trabalho não seria possível. 

Pensando nisso, muitos acreditam que a adoção do Fim de Semana com 3 dias deve acontecer voluntariamente. Seguindo os exemplos de cases que demos acima, todos de empresas e organizações que se voluntariaram a testar a ideia.

Cada vez mais empresas em diferentes países estão interessadas em testar esse novo modelo de trabalho. O problema é que a ideia esbarra novamente em serem experiências isoladas, o que pode dificultar a implementação em massa desse conceito pelo mundo ou mesmo por alguns países. 

Com a pandemia de COVID-19, muitas empresas têm adotado regimes flexíveis de trabalho e esse pode ser o caminho para mudar a nossa rotina semanal no futuro. E você acha que uma semana de trabalho menor seria possível?