Embora a democratização da internet permitiu ter acesso a inúmeras informações e conhecimentos, as tecnologias também têm efeitos negativos na nossa saúde mental.

    Assim como tudo na vida, a chave é não exagerar, e isso vale também para o uso consciente de smartphones, aplicativos, computadores…

    Infelizmente, de uns tempos para cá, temos visto um aumento significativo de crianças e adolescentes com quadros de ansiedade e depressão, e é justamente por essa hiper conectividade.

    Para você entender melhor qual o impacto das tecnologias na ansiedade, continue a leitura e confira!

    Como a tecnologia afeta a ansiedade?

    A tecnologia pode afetar a ansiedade de diversas formas, mas a sobrecarga de informações é um dos principais fatores, ou seja, o excesso de estímulos e conteúdos consumidos diariamente.

    Além disso, as pessoas ficam ansiosas quando uma mensagem não é respondida na hora ou ficam acessando suas redes sociais para ver as últimas postagens…

    Basta você ver o que aconteceu quando o WhatsApp saiu do ar. Algumas pessoas ficaram desesperadas, com a sensação de que o mundo tinha acabado.

    Um ponto que merece atenção é o medo da pessoa perder uma informação, um post. Isso é conhecido como FOMO (fear of missing you).

    Por conta disso, ou seja, para a pessoa ficar sabendo tudo o que está acontecendo, ela acessa constantemente as redes sociais, o que pode até levar a uma dependência.

    Quando chega nesse ponto, é o momento de parar! No entanto, não é uma tarefa fácil, pois essa busca constante por informação já faz parte da vida da pessoa, e dificilmente ela vai conseguir sozinha.

    Nesse caso, o melhor a fazer é procurar auxílio profissional, como psicólogos online, caso contrário, pode levar a algo mais sério, uma depressão, por exemplo.

    Dicas de diminuir a ansiedade causada pela tecnologia

    Sem dúvida, não tem como negar que as novas tecnologias são benéficas, desde que as pessoas as usem com equilíbrio.

    E se você é uma dessas pessoas que não consegue deixar de acessar suas redes sociais e está em constante sinal de alerta, veja algumas dicas para diminuir a ansiedade causada pela tecnologia:

    • Desfrute de momentos desconectado. Por exemplo, faça uma caminhada, leia um livro ou até assista a uma série na TV sem o seu telefone do lado;
    • Escute suas emoções. A partir do momento onde você começa a dizer: Não sei o que estou fazendo na Internet. Essa é a hora de parar;
    • Use sistemas para se desconectar. Por exemplo, coloque seu smartphone no silencioso durante muitas horas;
    • Fora do horário de trabalho, não acesse e-mails profissionais e nem participe dos grupos de WhatsApp do trabalho.

    Agora, se você sentir ansiedade, um cansaço mental, estresse, e está diante do seu computador sem saber o que deve fazer, não hesite em solicitar ajuda e até iniciar uma terapia online.

    Isso pode ser um sinal de uma ansiedade associada à tecnologia.

    Nunca se esqueça que é essencial separar sua vida pessoal da profissional, caso contrário, você acaba levando toda aquela ansiedade para casa e vice-versa.

    Conclusão

    As tecnologias chegaram para ficar. Isso é um fato!

    Por outro lado, diante do que você viu aqui de como a tecnologia afeta a ansiedade, principalmente se você não tem controle e não sabe a hora de se desconectar, siga as dicas passadas acima.

    Ao adotar isso no seu dia a dia, você estará cuidando da sua saúde mental e evitando problemas mais sérios!

    Compartilhe.
    Avatar de Fátima Watanabe

    Formada em biblioteconomia pela UFMG, Fátima Watanabe começou na sua área escrevendo artigos sobre as obras de Dante Alighieri e sua importância dentro da literatura. Hoje, Fátima passa seus dias como pesquisadora de sua área, integrando o uso de palavras-chave na pesquisa didática e ainda escreve editoriais e artigos no WTW19.