Tecnologia

10 Passos de como vender pela internet trabalhando de casa

single-image

Saber como vender na internet é quase que obrigatório para negócios que desejam expandir e ter o conforto de trabalhar diretamente de casa.

Os digitais negócios não param de crescer em todo o mundo e olha, nem vão parar.

O negócio é mergulhar de cabeça nesse universo e saber tudo que você precisa para estourar de vender.  

É claro que quando falamos sobre vender na internet existem vários caminhos que você pode seguir.

Mas no artigo de hoje eu quero te passar algumas sugestões dos caminhos mais profissionais.  

Passo a passo, tudo bem mastigadinho para você sair daqui com as ideias fervendo, independente se você for vender por marketplace, pelo Instagram ou por uma loja virtual, por um site.

Vamos para o bom e velho papel e caneta na mão e bora lá para o conteúdo!

01 – O primeiro passo pode parecer óbvio, mas eu te garanto: muita gente se perde já começo trabalhando em casa com vendas

Tenha definido exatamente o produto que você quer vender. Por exemplo, vender roupas é uma coisa. Mas que tipo de roupas você vai vender, para qual público, de qual o tamanho, qual que é o material dessa roupa?

Ou seja, qual nicho que você quer atingir com essa venda?

02 – O segundo passo vai totalmente de encontro ao primeiro: definir o público

Ter um público bem definido vai te ajudar muito na hora de traçar a estratégia da sua empresa.

Na hora que você for escolher os produtos, definir os canais de venda e até planejar o marketing, ter um público bem definido que converse totalmente com aquele produto que você escolheu no primeiro passo, vai te ajudar bastante a ser assertivo.

03 – Falando em canais de venda, está aí a terceira dica: uma das coisas que a gente mais escuta o pessoal perguntar é sobre canais de venda

Vale a pena vender em marketplace?

Começar pelo Instagram ou já ter uma loja virtual? E o Facebook? Ainda tem gente

que compra no Facebook?

Olha, se você fez o passo 2 certinho e já tem um público-alvo bem definido, você deve saber aonde o seu público está.

E tudo bem se eles estiverem em mais um canal de venda.

A única dica que eu te dou nesse passo é tomar cuidado para não tentar atender em todos os canais ao mesmo tempo e não ter foco em nenhum, não conseguir se dedicar de corpo e alma em nenhum.

Então, entenda qual que é o principal canal que você vende, qual que é o principal canal que o seu público está e foque nele primeiro se você vai começar sozinho, por exemplo.

Esse é um exercício bem legal para fazer e quem é que nunca imaginou o nome para ir lá e registrar como seu porquê achou uma ideia incrível?

04 – Então, o quarto passo está aí: a escolha do nome da marca

Quer uma dica muito boa? Escreva em um papel tudo que remete tua marca.

Onde que você teve a ideia de criar aquela marca, referências pessoais, gostos hobbies, tudo que tem a ver com o seu universo e vai criando conexões, juntando palavras   e pensando em possibilidades de nomes para essa sua marca.

É trabalhoso e, geralmente, é demorado, mas não tenha pressa para acabar essa etapa, não, é uma fase gostosa e, se tudo der certo, essa marca ainda vai ser muito ouvida aí no mercado.

Então, vale a pena se dedicar nela.

05 – O quinto passo também é fundamental para o sucesso do seu negócio: análise de concorrentes

O que seus concorrentes fazem, o que eles postam, por quanto eles vendem, como eles se comunicam, o que você considera que é um ponto forte dele e quais são os pontos fracos?

Quer outra dica boa para esse vídeo? Pega esses pontos fracos dos seus concorrentes e trabalha em cima deles. Faça com que esses pontos sejam os seus diferenciais.

Olhar o erro dos outros não tem nada de errado, não. Pelo contrário, imagina se todo mundo faz isso?

Como resultado: o serviço de todo mundo sai cada vez melhor e nós, consumidores, agradecemos.

06 – Com essa análise em mãos, o sexto passo fica ainda mais fácil: precificação

Para chegar no melhor preço possível para o seu produto, é importante que você tenha notado todos, todos os cursos da sua operação.

E quando eu digo todos, isso inclui desde a matéria-prima ou do próprio produto que

você comprou para revender, até as embalagens e o papel na Nota Fiscal, que você gastou folha e tinta para imprimir.

Depois que você chegar nesse valor de tudo que envolveu os seus custos, você

coloca a margem do quanto de lucro você gostaria de ter ali em cima.

Assim, fica muito mais fácil chegar em um preço justo para o seu cliente e que também seja rentável para você e o seu negócio.

07 – O sétimo passo é escolher os meios de pagamentos para o seu negócio

Afinal, se você vende online, você também vai receber online, certo?

Entenda qual opção de pagamento faz mais sentido, tanto para você, quanto para os seus clientes.

Analise todas as possibilidades e veja, dentro de cada uma delas, quais são as taxas e qual que é o prazo de recebimento desse dinheiro para você.

Geralmente, as empresas que têm taxas menores, demoram um pouco mais para te transferir esse dinheiro. E as empresas que têm uma taxa um pouquinho maior te transferem mais rápido.

Por isso, é essencial que você avalie em quanto tempo você precisa daquele dinheiro em mãos para fazê-lo rodar e comprar mais mercadoria.

08 – O oitavo passo são as formas de entrega, o famoso frete

Pode parecer simples, mas entregar os produtos sem avaria, com o menor custo   e no prazo mais curto possível, é um grande desafio para quem vende online.

Por isso, assim como o passo anterior, pesquise bastante quais são as possibilidades para o seu negócio.

Se você já está começando um negócio de forma profissional e tem um site próprio, essa parte, essas integrações de frete já estão prontinhas lá na plataforma dos marketplaces.

É só você ativar quais fazem mais sentido para você.

Outra dica para concluir essa questão de frete é: ofereça mais uma opção de frete para o seu cliente.

Assim, se alguma das suas intermediadoras de envio tiver algum problema, você não fica refém de uma só empresa.

09 – O nono passo é: defina bem as suas estratégias de marketing

Para você vender online, uma coisa importantíssima que você obrigatoriamente precisa ter é: tráfego.

Diferentemente do offline, quando o cliente passa na frente da tua loja e se interessa por aquela vitrine e entra, no online a tua loja precisa chegar até o cliente.

Por isso, eu recomendo que, para atrair essas pessoas, você produza muito conteúdo orgânico, seja nas suas redes sociais, no seu site, no seu blog e, se puder, já tiver esse custo no   eu planejamento de marketing, também coloca um pouco de tráfego pago para atrair mais pessoas, e mais pessoas comprarem.

Só toma cuidado com anúncios pagos porque muita gente pensa que é simplesmente apertar o botão impulsionar e que está tudo certo.

Não é bem assim. Assim como tudo no marketing, exige estratégia e estudo.

Então entenda um pouquinho melhor sobre como fazer isso para impulsionar da maneira correta e não perder dinheiro.

10 – E por fim, mas jamais menos importante, tenha um excelente atendimento ao cliente

Pense que esse cliente não está na sua loja, não tem um vendedor atendendo-o, ele não pode encostar no produto, sentir a textura, ver o tamanho exato da peça, não pode tirar dúvidas ali com o vendedor e nem vai ter o vendedor argumentando, convencendo-o de levar aquele produto.

Então, seu atendimento online precisa ser excepcional para superar esse ponto

positivo que o offline tem.

Traga isso também para online e seja prestativo, claro, tenha uma comunicação rápida com seu cliente.

Quer uma sugestão nesse passo também? Não espera que ele tenha dúvidas para perguntar, deixe tudo bem-estar na sua página para ajudar ao máximo seus

clientes nas possíveis dúvidas que ele possa ter.  

Eu espero muito ter conseguido te ajudar e se você quer vender na internet só não sabe ainda muito bem o que, eu recomendo o site Será Que Pode .

Por lá você contém diversos conteúdos sobre a venda e sobre trabalhar em casa com a produção .

Até breve!

 

Você vai gostar também