6 dicas de como prevenir problemas oculares na juventude?

Existem muitos fatores de estilo de vida modificáveis ​​que contribuem para a perda de visão e os médicos aconselham os pacientes sobre como reduzir seu risco. Existem mais de 200 doenças oculares, que variam de problemas comuns, por exemplo: olho seco [DED], catarata e glaucoma.

As doenças mais raras, por exemplo: melanoma ocular e ceratoconjuntivite primaveril. Alguns deles não apresentam sintomas e podem causar perda de visão antes que os pacientes percebam o que está acontecendo. Há 1,8 milhões de pessoas no Reino Unido que vivem com perda significativa de visão, 50% da qual é evitável. 

Existem muitos serviços que profissionais de saúde podem orientar os pacientes para apoiar o objetivo de reduzir a incidência de perda de visão. 

1. Reduza o consumo de álcool

Além de aumentar o risco de doenças cardíacas, doenças hepáticas e certos tipos de câncer, o uso indevido persistente de álcool também pode afetar a saúde ocular a longo prazo.

Foi demonstrado que o uso de álcool exacerba os sinais e sintomas de DED (também conhecido como ceratoconjuntivite seca), uma condição em que os olhos não produzem lágrimas suficientes ou as lágrimas evaporam muito rapidamente, fazendo com que os olhos sequem e fiquem vermelhos, inchado e irritado. 

Um estudo de caso em dez pacientes após a ingestão de álcool demonstrou que o álcool foi detectado nas lágrimas da pessoa e foi associado a um menor tempo de ruptura das lágrimas (por meio do álcool atuando como solvente), aumentando a osmolaridade das lágrimas e perturbando a produção de citocinas.

O consumo de álcool pesado tem também sido associado a causas conhecidas de cegueira, incluindo degeneração macular relacionada à idade (DMRI; quando as células na parte central da retina são danificadas e a visão central é afetada como resultado).

Uma meta-análise de cinco estudos publicados descobriu que o consumo excessivo de álcool, definido como uma ingestão de ≥30g de álcool / dia, foi associado a um risco aumentado de DMRI precoce. Acredita-se que o álcool aumente o estresse oxidativo, modificando os mecanismos que o protegem, resultando em DMRI.

A ligação com a catarata (turvação do cristalino do olho) é menos clara, mas um aumento da prevalência de catarata foi relatado em pacientes com alto consumo de álcool.

2. Pare de fumar

Uma história de tabagismo foi associada a um risco aumentado de DMRI e está relacionada à sua incidência e progressão. Os fumantes atuais demonstraram ter um risco aumentado de desenvolver DMRI, em comparação com ex-fumantes e não fumantes expostos ao fumo passivo.

A fumaça do cigarro também demonstrou ter uma relação dose-dependente com a formação de catarata. Também tem sido associada à retinopatia diabética (o bloqueio dos vasos sanguíneos na parte posterior do olho), DED e glaucoma (uma condição que afeta o nervo óptico).

Uma pesquisa transversal com 260 adolescentes descobriu que o medo da cegueira era uma motivação tão convincente para parar de fumar quanto o medo de câncer de pulmão, doenças cardíacas e derrame. As discussões relacionadas aos cuidados com a visão podem, portanto, ajudar a motivar os pacientes a parar de fumar.

3. Proteja os olhos do sol

Altos níveis de exposição à luz ultravioleta (UV) A e B são fatores de risco conhecidos para várias doenças oculares, incluindo catarata e câncer. A maioria das marcas de óculos de grau agora contém um filtro UV, mas nem todos os óculos de sol oferecem proteção adequada.

Os pacientes devem ser aconselhados a garantir que seus óculos sejam conforme os padrões e sejam a categoria apropriada para seu uso. O uso de óculos adequados pode se evitar uma cirurgia de catarata na velhice.

4. Reduza o tempo de uso dos dispositivos digitais

O aumento da dependência de dispositivos digitais levou a um rápido aumento nos sintomas oculares relacionados ao computador, conhecidos como síndrome da visão computacional (CVS). Os sintomas de CVS podem ser divididos em quatro categorias:

  1. Tensão ocular (astenopia);
  2. Olhos secos ou doloridos relacionados à superfície ocular;
  3. Dificuldade de focalização (desfoque visual);
  4. Outros sintomas não oculares.

Os tratamentos OTC para doenças oculares estão disponíveis em uma variedade de formulações, incluindo sprays, gotas, géis e pomadas. Os pacientes devem ser informados sobre os vários produtos, seus modos potenciais de ação e métodos de administração, para que possam tomar uma decisão informada. 

5. Faça testes de visão regulares

Os médicos podem reforçar a importância de exames regulares à vista; para a maioria dos adultos, o intervalo recomendado é a cada dois anos. No entanto, alguns grupos de pacientes de alto risco são recomendados para testes de visão mais frequentes. Alguns grupos de pacientes também têm fatores de risco adicionais para glaucoma (por exemplo, pacientes afro-caribenhos e asiáticos, ou pacientes com 40 anos ou mais com histórico familiar, que vivem com diabetes ou hipertensão ou estão tomando corticosteroides sistêmicos ou tópicos). Esses pacientes devem ser encaminhados ao seu oftalmologista local se não tiverem feito um teste de visão recente ou se tiverem qualquer problema de visão.