Você já ouviu falar sobre crime de falsidade de atestado médico? Infelizmente, essa prática tem se tornado cada vez mais comum no Brasil. 

    Trata-se de um crime que consiste em falsificar ou adulterar atestados médicos com o intuito de obter vantagens indevidas, como faltas no trabalho ou na escola, por exemplo.

    Os atestados médicos são documentos importantes que comprovam a condição de saúde do paciente e sua necessidade de afastamento das atividades habituais. 

    No entanto, muitas pessoas acabam recorrendo à falsificação desses documentos para justificar ausências injustificadas. 

    Isso pode trazer consequências graves, tanto para o indivíduo que comete o crime quanto para a empresa ou instituição que é lesada.

    Definição do crime de falsidade de atestado médico

    Se você está escrevendo um artigo sobre o crime de falsidade de atestado médico, é importante começar definindo o que é esse crime. 

    Basicamente, esse crime ocorre quando alguém falsifica um atestado médico, seja para obter benefícios financeiros, para faltar ao trabalho ou à escola, ou para qualquer outro propósito ilegal.

    De acordo com o Código Penal Brasileiro, o crime de falsidade de atestado médico é considerado um crime contra a fé pública, e pode ser punido com pena de reclusão de um a três anos, além de multa. 

    Além disso, a pessoa que falsifica um atestado médico também pode ser processada civilmente por danos morais e materiais causados a terceiros.

    Para comprovar a falsificação de um atestado médico, muitas vezes é necessário recorrer a um curso grafotécnico, que é uma técnica utilizada para analisar a autenticidade da assinatura e da escrita presente no documento. 

    Esse curso é ministrado por especialistas em grafoscopia, que são capazes de identificar se uma assinatura ou escrita é falsa ou verdadeira.

    Leis e regulamentos relevantes

    Código penal brasileiro

    Se você for pego falsificando um atestado médico, você pode ser processado criminalmente de acordo com o Código Penal Brasileiro. 

    O artigo 302 do Código Penal estabelece que a falsificação de documentos, incluindo atestados médicos, é um crime que pode resultar em pena de reclusão de até seis anos e multa.

    Além disso, se você for um profissional de saúde e for pego falsificando um atestado médico, pode ser processado com base no artigo 302 do Código Penal e também no artigo 302-A, que estabelece penas mais graves para profissionais de saúde que cometem esse crime. 

    A pena para profissionais de saúde pode ser de até oito anos de reclusão e multa.

    Lei de crimes contra a saúde pública

    A Lei de Crimes Contra a Saúde Pública também estabelece penalidades para a falsificação de atestados médicos.

    O artigo 267 da lei estabelece que é crime “causar epidemia, mediante a propagação de germes patogênicos”. 

    A falsificação de atestados médicos pode ser considerada uma forma de propagação de germes patogênicos, uma vez que o atestado pode ser usado para justificar a ausência do trabalho, escola ou outras atividades, evitando assim medidas de controle de epidemias.

    A pena para esse crime pode ser de até 15 anos de reclusão, além de multa.

    É importante lembrar que, mesmo que a falsificação de atestados médicos não resulte em uma epidemia, ela ainda é considerada um crime grave que pode resultar em sérias consequências legais.

    Processo judicial

    Investigação

    Durante a investigação do crime de falsidade de atestado médico, a polícia irá reunir evidências para apresentar ao Ministério Público. 

    Isso pode incluir depoimentos de testemunhas, análise de documentos e provas materiais, como gravações de áudio ou vídeo.

    Se você está sendo investigado por este crime, é importante que você coopere com as autoridades e forneça toda a informação necessária para a investigação. 

    Isso pode incluir documentos médicos, registros de trabalho e outras informações relevantes.

    Julgamento

    Se a investigação resultar em acusações criminais, você será levado a julgamento. Durante o julgamento, o juiz e o júri avaliarão as evidências apresentadas pelas autoridades e decidirão se você é culpado ou inocente.

    É importante que você tenha um advogado experiente em casos criminais para representá-lo durante o julgamento. Se você não puder pagar um advogado, o Estado irá fornecer um para você.

    Se você for considerado culpado do crime de falsidade de atestado médico, poderá enfrentar pena de prisão e multa. 

    A gravidade da pena depende da gravidade do crime, bem como de outros fatores, como se você tem antecedentes criminais ou se houve danos causados a terceiros.

    Penalidades e consequências

    Se você for pego cometendo o crime de falsidade de atestado médico, pode enfrentar várias penalidades e consequências legais. Aqui estão algumas das possíveis punições:

    • Multa: você pode ser multado em uma quantia que varia de acordo com a gravidade do delito e a jurisdição em que ele foi cometido. Em alguns casos, a multa pode chegar a dezenas de milhares de reais.
    • Prisão: a pena de prisão pode variar de alguns meses a vários anos, dependendo da gravidade do crime e da legislação local. Além disso, se você for condenado, terá um registro criminal que pode afetar sua vida pessoal e profissional.
    • Processo disciplinar: se você for um funcionário público, pode enfrentar um processo disciplinar que pode resultar em demissão ou outras punições.
    • Processo civil: se a falsificação do atestado médico resultar em danos a outra pessoa, você pode enfrentar um processo civil e ter que pagar indenizações.

    Prevenção e detecção

    Para prevenir e detectar casos de falsidade de atestado médico, é importante que as empresas e instituições adotem medidas preventivas, como a exigência de atestados originais, com identificação do médico e carimbo do CRM. 

    Além disso, é recomendável que sejam estabelecidos procedimentos para a verificação da autenticidade dos documentos apresentados pelos funcionários.

    Outra medida importante é a conscientização dos funcionários sobre as consequências da prática de falsificação de atestados médicos, que pode levar à demissão por justa causa e até mesmo a processos criminais. 

    É importante que os colaboradores saibam que essa prática não é aceitável e pode prejudicar a empresa como um todo.

    Caso haja suspeita de falsificação de atestado médico, é importante que a empresa ou instituição realize uma investigação interna para apurar os fatos. 

    Nesse caso, é recomendável que sejam consultados profissionais especializados, como peritos judiciais grafotécnicos, para a análise da autenticidade do documento.

    Os peritos judiciais grafotécnicos são profissionais especializados na análise de documentos, como atestados médicos, com o objetivo de identificar possíveis falsificações.

    O valor cobrado pelo perito judicial grafotécnico pode variar de acordo com a complexidade do caso e a região em que atuam. É importante que a empresa ou instituição verifique a reputação e a experiência do profissional antes de contratá-lo.

    Conclusão

    A falsificação de atestados médicos é um crime que pode trazer consequências graves para o profissional de saúde que o emite e para a pessoa que o utiliza. 

    Como você viu ao longo deste artigo, essa prática é considerada falsificação de documento público e pode resultar em pena de reclusão de dois a seis anos, além de multa.

    É importante destacar que a falsificação de atestados médicos não é uma prática comum, mas infelizmente ainda ocorre. 

    Por isso, é fundamental que os profissionais de saúde estejam cientes da gravidade desse crime e sejam éticos em suas condutas.

    Caso você precise de um atestado médico, é importante buscar um profissional de confiança e realizar uma consulta para que ele possa avaliar sua condição de saúde e emitir o documento de forma legal e correta.

    Compartilhe.
    Avatar de Fátima Watanabe

    Formada em biblioteconomia pela UFMG, Fátima Watanabe começou na sua área escrevendo artigos sobre as obras de Dante Alighieri e sua importância dentro da literatura. Hoje, Fátima passa seus dias como pesquisadora de sua área, integrando o uso de palavras-chave na pesquisa didática e ainda escreve editoriais e artigos no WTW19.