Como Otimizar Seu Investimento em Fundos Imobiliários?

como-otimizar-investimento-fundos-imobiliarios

O investimento em fundos imobiliários é uma questão que paira sobre vários investidores que buscam uma escolha mais lucrativa para diversificar seus investimentos.

A área de fundos imobiliários (FIIs) tem tido um crescimento imediato. No último mês de 2020, a área registrou 3,73 milhões de acionistas, um crescimento de 91,7% em relação ao ano anterior, segundo pesquisa da Economatica, baseada em dados do B3 e da Associação Brasileira das Instituições Financeiras e do Mercado de Capitais (Anbima).

Por Que Fundos Imobiliários São Uma Boa Opção de Investimento? 

Você já ouviu falar nos Softwares para mercado Imobiliário? Pois é, eles existem. Os fundos imobiliários brasileiros foram inspirados nos US REITs. Em resumo, os FIIs (Fundos de Investimento Imobiliário) são administrados por um profissional (gestor ou administrador), a fim de investir nos mais diferentes tipos de projetos imobiliários, tais como: armazéns logísticos, centros comerciais, placas corporativas, bem como títulos ligados a títulos imobiliários: Certificados de Crédito Imobiliário (CRI).

Em outras palavras, os investidores colocam dinheiro no fundo, que, sob gestão profissional, investe em ativos imobiliários a fim de obter renda com esses ativos, seja através de aluguel, negociação ou pagamento de juros.

Apesar de terem uma liquidez menor que as atividades, os fundos imobiliários têm uma liquidez significativamente maior que os imóveis físicos e isto é suficiente para a maioria dos investidores individuais. Entretanto, o investidor que tem a mesma parcela investida em fundos imobiliários pode simplesmente vender ações com o custo financeiro que ele requer.

Eles não pagam imposto de renda?

Os investimentos dos Fundos Imobiliários, ao contrário dos aluguéis recebidos de imóveis físicos, permanecem isentos do imposto de renda sobre aluguéis mensais para pessoas físicas que não têm uma parcela preeminente de 10% em um fundo definido e têm pelo menos 50 cotistas.

Entretanto, se o investidor decidir vender suas cotas, ele teria que pagar 20% de imposto de renda sobre o ganho de capital.

Quais são os benefícios?

  • O cliente da propriedade física requer ter a parte do custo da propriedade, ou entrar em financiamento. Nos FIIs, mesmo com poucos recursos, um pequeno investidor pode ter acesso a recursos ou promoções de enorme custo, que normalmente só estão disponíveis para investidores gigantes.
  • Além de ter acesso a enormes promoções, o investidor de FII pode ser exposto a inquilinos de alta qualidade de crédito, especialmente nos chamados fundos “triplo A”. Tais inquilinos são provavelmente enormes instituições nacionais ou multinacionais, que têm principalmente uma baixa probabilidade de inadimplência.
  • Numerosas organizações de corretagem já permitem aos consumidores investir em FIIs sem cobrar comissões de corretagem, tanto para comercializar como para vender. Isto resulta em menores custos de compra e alienação de ativos e torna este tipo de investimento mais atraente para os indivíduos.

Quais são os riscos?

Assim como os aluguéis, os fundos imobiliários também permanecem expostos a riscos físicos, tais como colapso, depredação, enchentes e incêndios. Além disso, o não pagamento ou a vaga pode levar a uma redução nos lucros ou mesmo a perdas.

Tipos de fundos imobiliários

Para entender como investir em fundos imobiliários, é necessário saber que existem diferentes tipos de fundos disponíveis no mercado.

Fundos de tijolos

Fundos de tijolos, também chamados fundos imobiliários, fundos de tijolos ou laje, são fundos que investem na compra de projetos imobiliários. Sua remuneração é recebida principalmente dos aluguéis, mas também pode haver renda proveniente da compra e comercialização dos imóveis da carteira.

Os fundos de tijolos podem ser subdivididos de acordo com o tipo de desenvolvimento no qual eles concentram seus investimentos. As mais comuns são:

  • lajes ou escritórios corporativos;
  • centros comerciais
  • agências bancárias
  • armazéns logísticos
  • hospitais;
  • hotéis.

Fundos de Papel

Fundos de papel são fundos que investem em ativos financeiros no mercado imobiliário e fundos que investem em ações de outros fundos (Fundo de Fundos).

Nos fundos de papel, o investidor ganha com o pagamento de juros e não há apreciação do principal.

No entanto, como os fies têm diferentes propósitos para obter renda, veja uma categorização mais descritiva para facilitar a comparação entre eles:

  • Fundos de Desenvolvimento Imobiliário
  • Fundos de Arrendamento de Shopping Centers
  • Fundos de locação – filmes corporativos
  • Fundos imobiliários para imóveis industriais
  • Fundos de hotel
  • Fundos imobiliários educacionais
  • Fundos imobiliários hospitalares
  • Fundos de empréstimos imobiliários (PBR)
  • Fundos híbridos (papel e tijolo)
  • Agências bancárias Fundos
  • Fundos de varejo
  • Outros fundos

Conclusão

Investir em fundos imobiliários pode ser uma boa escolha para investidores que têm qualquer tipo de interesse neste ambiente e estão à procura de uma renda mensal.

Com eles, você pode lucrar com a valorização das taxas e também com a cobrança dos aluguéis.

Veja também: Alocação de profissionais de TI: vale a pena?

Compartilhar este post:

Você vai gostar também