Quem está atento ao mercado das criptomoedas, provavelmente, já ouviu falar em blockchain, que é a tecnologia por trás de muitas criptomoedas, como Bitcoin, por exemplo. Mas será que você sabe como ela funciona? Pois é exatamente sobre ela que falaremos neste artigo. Confira!

    Então, para começar, vale saber que em tradução literal, blockchain quer dizer corrente de blocos, e é ela que viabiliza as transações, extremamente seguras, com Bitcoins.

    Então, Bitcoin é a moeda digital mais popular, e para operacionalizá-la foi necessário desenvolver uma tecnologia específica que não apenas garantisse um armazenamento super seguro das informações da moeda, mas que também registrasse suas transações e, dessa forma, oferecesse transparência e segurança dentro desse espaço virtual.

    E essa tecnologia específica é blockchain.

    E engana-se quem pensa que é apenas o Bitcoin, mas Solana hoje também é muito valorizada, assim como Ethereum, Litecoin, dentre outras, que também possuem por trás a tecnologia blockchain.

    Mas embora essa tecnologia tenha ficado conhecida por causa das criptomoedas, engana-se quem pensa que ela é exclusiva das criptomoedas. Muito pelo contrário. Cada vez mais, vem sendo usada nos mais diversos setores, até mesmo no da saúde. 

    Afinal, como funciona a tecnologia Blockchain?

    Voltando à tradução literal, bloco (block) em cadeia (chain), podemos ter uma ideia de seu funcionamento. 

    Nos blocos são armazenadas as informações das transações de bitcoins, que são reunidos a outros blocos sequenciais, e cada ligação entre eles é formada por códigos (hash), resultando em uma cadeia de dados criptografados.

    Na verdade, esse é o segredo de toda a segurança dessa tecnologia, já que para analisar todas as informações é necessário analisar a cadeia inteira.

    Mas como essas transações são efetuadas? 

    E para que as transações sejam efetuadas, é preciso contar com o trabalho de profissionais, conhecidos como mineradores, para montar as cadeias de blocos, por meio de computadores extremamente robustos e complexos.

    Os mineradores, então,  precisam reunir transações que estão sendo realizadas na rede, mas que ainda não foram posicionadas em um bloco, ou seja, encontrar e calcular o código, ou o hash, para formar a ligação entre os blocos. 

    Quando o hash é localizado e autenticado, essa cadeia de blocos torna-se, então, uma moeda.

    Sim, é um trabalho extremamente complexo, e por conta disso, os mineradores recebem recompensa em criptomoedas.

    A blockchain é uma tecnologia segura?

    A resposta é SIM! Quando se pensa em blockchain é preciso lembrar dos códigos que conectam cada bloco em sua rede, e cada código é único, imutável e irreversível.

    Só após o bloco ser preenchido com transações e todo o processo de mineração ser realizado, uma operação é efetuada, sendo a criptomoeda transferida de uma pessoa para outra.

    Ou seja, a criptografia existente em todo o processo é a responsável pela alta segurança que envolve essa tecnologia, a tal ponto de já ser aproveitada em outros universos.

    E mais, essa tecnologia garante também que uma transação não seja alterada e que a moeda chegue ao destino correto. 

    Possibilidades de uso

    Como já foi dito, por toda a segurança que envolve a tecnologia Blockchain, sua aplicação pode ir, e vai, muito além das criptomoedas.

    Por todo o grande potencial da tecnologia Blockchain, ela pode ser utilizada em áreas diversas, que vão do setor imobiliário, financeiro, jurídico, até a área da saúde, segurança pública, enfim, até bancos também já perceberam o grande potencial no seu uso.

    Na verdade, toda situação ou contexto em que a transação precise de validação, tanto de um contrato, como da identidade de indivíduos envolvidos, a tecnologia blockchain pode ser empregada. 

    A valorização e a implementação dessa tecnologia, na verdade, vem crescendo muito, principalmente, por conta de sua enorme segurança e praticidade.

    E é isso, certamente, ainda ouviremos falar muito, não apenas de criptomoedas, mas de toda a tecnologia por trás dessas incríveis moedas digitais.

    Compartilhe.
    Avatar de Fátima Watanabe

    Formada em biblioteconomia pela UFMG, Fátima Watanabe começou na sua área escrevendo artigos sobre as obras de Dante Alighieri e sua importância dentro da literatura. Hoje, Fátima passa seus dias como pesquisadora de sua área, integrando o uso de palavras-chave na pesquisa didática e ainda escreve editoriais e artigos no WTW19.